Home » Dicas Honey » DIU X PÍLULA
Dicas Honey
DIU X PÍLULA

Todos os métodos contraceptivos têm suas vantagens e desvantagens. É fácil saber qual o método mais barato, mais efetivo e o que incomoda mais.

Definir qual é o método melhor é algo individual e depende também do quanto você valoriza. Nesse post, vamos explicar um pouco da diferenças, das vantagens e desvantagens da pílula e do DIU. Chamamos de métodos contraceptivos hormonais, todos aqueles que têm como base a utilização de hormônios femininos, a progesterona e o estrogênio, para a manipulação do ciclo menstrual. Hoje em dia existem várias formas de anticoncepção hormonal, em forma de injeção, comprimidos, anel vaginal, implante e etc. Existe também DIU que é a base de hormônios. Os anticoncepcionais hormonais são muito eficazes para impedir uma gravidez, porém não tem ação nenhuma na proteção contra doenças sexualmente transmissíveis.

Pílula do dia seguinte (PDS)

A pílula é um método que pode ser usado para evitar gravidez após a relação sexual não segura. Apesar de ser interpretada como uma solução prática para evitar a gravidez indesejada, esse recurso é indicado apenas para casos de emergência e deve ser usado com cuidado, já que traz efeitos colaterais em curto e longo prazo. Tomar a pílula do dia seguinte não deve ser um hábito. Ela deve ser um plano B, um caminho de emergência para quando as coisas não vão como planejado. 

Tipos

  • Cartela com 1 comprimido, composto de 1,5mg de levonorgestrel
  • Cartela com 2 comprimidos: composto cada um de 0,75mg de levonorgestrel

Não existe diferença entre os dois tipos de pílula do dia seguinte, uma vez que a dosagem é a mesma. Ambas representam uma enorme carga de hormônios ingerida de uma só vez, diferentemente das pílulas anticoncepcionais convencionais ingeridas diariamente que possuem dosagem menor. A pílula do seguinte tem um prazo de 72 duas horas para ser útil, depois do terceiro dia não tem mais a capacidade de evitar a gravidez. Portanto, deve ser tomada o mais rápido possível. O risco em falhar da pílula do dia seguinte gira em torno de 5%, quando usada corretamente. Por exemplo, se 100 mulheres tomarem a pílula nas primeiras 24 horas após a relação sexual desprotegida, cinco dessas mulheres ainda vão engravidar. 

Efeitos Colaterais:

  • Dor de cabeça;
  • Dor nas mamas;
  • Tontura;
  • Diarreia

Pílula anticoncepcional

A pílula é composta pelos hormônios estrogênio e progesterona e deve ser tomada diariamente, sem falhas para garantir sua eficácia. Sendo tomada corretamente, a pílula é extremamente eficaz em inibir a ovulação. Ele é um dos melhores métodos contraceptivos. Porém, se a mulher não é disciplinada e esquecer com frequência o seu uso dos comprimidos, corre o risco de engravidar. A pílula só deve ser usada sob a orientação médica por se tratar de um método que se manipula o ciclo menstrual da mulher.

Efeitos colaterais

  • Náuseas e vômitos;
  • Dor de cabeça;
  • Cansaço excessivo;
  • Sangramento fora do período menstrual;
  • Sensibilidade nos seios;
  • Dor abdominal;
  • Diarreia;
  • Menstruação irregular, podendo adiantar ou atrasar o sangramento.

Dispositivo intrauterino (DIU)

O DIU tem um formato de T, é um dispositivo de plástico, ele deve ser implantado dentro do útero da mulher através da vagina, pelo ginecologista durante a consulta. O procedimento para colocar o DIU é simples e rápido. Existem 2 tipos de DIU: um DIU é revestido por hormônio progesterona, chamado de DIU Mirena e o outro DIU é revestido por cobre. Depois de implantado o DIU pode permanecer no útero por até 10 anos no caso do DIU de cobre e por 5 anos no caso do DIU Mirena. Ambos impedem a penetração e passagem dos espermatozoides, não permitindo seu encontro com o óvulo. A grande diferença é que o DIU é feito de cobre, um metal e não possui nenhum tipo de hormônio, enquanto o DIU de mirena libera um hormônio dentro do útero. Além do efeito contraceptivo, o hormônio pode apresentar outros efeitos, como reduzir o fluxo menstrual. O dispositivo deve ser inserido pelo seu médico após ele ter sido indicado para você.

Efeitos Colaterais

De modo geral, o uso do DIU pode causar dores na pélvis e aumentar o risco de infecções vaginais, apesar destes sintomas serem raros. No caso de cada tipo existem efeitos colaterais específicos.

DIU de cobre, por alterar o endométrio e muco, costuma:

  • Aumentar o volume da menstruação
  • Causar mais cólicas menstruais.

Já o DIU de Mirena, por liberar hormônios, pode acabar:

  • Suspendendo a menstruação definitivamente (em cerca de 80% dos casos)
  • Causar escapes (pequenos sangramentos)
  • Trazer um leve aumento de peso.


 

 

 

Compartilhe!

PLAYLIST
POSTS MAIS LIDOS
DIU X PÍLULA

Todos os métodos contraceptivos têm suas vantagens e desvantagens. É fácil saber qual o método mais barato, mais efetivo e o que incomoda mais.

Definir qual é o método melhor é algo individual e depende também do quanto você valoriza. Nesse post, vamos explicar um pouco da diferenças, das vantagens e desvantagens da pílula e do DIU. Chamamos de métodos contraceptivos hormonais, todos aqueles que têm como base a utilização de hormônios femininos, a progesterona e o estrogênio, para a manipulação do ciclo menstrual. Hoje em dia existem várias formas de anticoncepção hormonal, em forma de injeção, comprimidos, anel vaginal, implante e etc. Existe também DIU que é a base de hormônios. Os anticoncepcionais hormonais são muito eficazes para impedir uma gravidez, porém não tem ação nenhuma na proteção contra doenças sexualmente transmissíveis.

Pílula do dia seguinte (PDS)

A pílula é um método que pode ser usado para evitar gravidez após a relação sexual não segura. Apesar de ser interpretada como uma solução prática para evitar a gravidez indesejada, esse recurso é indicado apenas para casos de emergência e deve ser usado com cuidado, já que traz efeitos colaterais em curto e longo prazo. Tomar a pílula do dia seguinte não deve ser um hábito. Ela deve ser um plano B, um caminho de emergência para quando as coisas não vão como planejado. 

Tipos

  • Cartela com 1 comprimido, composto de 1,5mg de levonorgestrel
  • Cartela com 2 comprimidos: composto cada um de 0,75mg de levonorgestrel

Não existe diferença entre os dois tipos de pílula do dia seguinte, uma vez que a dosagem é a mesma. Ambas representam uma enorme carga de hormônios ingerida de uma só vez, diferentemente das pílulas anticoncepcionais convencionais ingeridas diariamente que possuem dosagem menor. A pílula do seguinte tem um prazo de 72 duas horas para ser útil, depois do terceiro dia não tem mais a capacidade de evitar a gravidez. Portanto, deve ser tomada o mais rápido possível. O risco em falhar da pílula do dia seguinte gira em torno de 5%, quando usada corretamente. Por exemplo, se 100 mulheres tomarem a pílula nas primeiras 24 horas após a relação sexual desprotegida, cinco dessas mulheres ainda vão engravidar. 

Efeitos Colaterais:

  • Dor de cabeça;
  • Dor nas mamas;
  • Tontura;
  • Diarreia

Pílula anticoncepcional

A pílula é composta pelos hormônios estrogênio e progesterona e deve ser tomada diariamente, sem falhas para garantir sua eficácia. Sendo tomada corretamente, a pílula é extremamente eficaz em inibir a ovulação. Ele é um dos melhores métodos contraceptivos. Porém, se a mulher não é disciplinada e esquecer com frequência o seu uso dos comprimidos, corre o risco de engravidar. A pílula só deve ser usada sob a orientação médica por se tratar de um método que se manipula o ciclo menstrual da mulher.

Efeitos colaterais

  • Náuseas e vômitos;
  • Dor de cabeça;
  • Cansaço excessivo;
  • Sangramento fora do período menstrual;
  • Sensibilidade nos seios;
  • Dor abdominal;
  • Diarreia;
  • Menstruação irregular, podendo adiantar ou atrasar o sangramento.

Dispositivo intrauterino (DIU)

O DIU tem um formato de T, é um dispositivo de plástico, ele deve ser implantado dentro do útero da mulher através da vagina, pelo ginecologista durante a consulta. O procedimento para colocar o DIU é simples e rápido. Existem 2 tipos de DIU: um DIU é revestido por hormônio progesterona, chamado de DIU Mirena e o outro DIU é revestido por cobre. Depois de implantado o DIU pode permanecer no útero por até 10 anos no caso do DIU de cobre e por 5 anos no caso do DIU Mirena. Ambos impedem a penetração e passagem dos espermatozoides, não permitindo seu encontro com o óvulo. A grande diferença é que o DIU é feito de cobre, um metal e não possui nenhum tipo de hormônio, enquanto o DIU de mirena libera um hormônio dentro do útero. Além do efeito contraceptivo, o hormônio pode apresentar outros efeitos, como reduzir o fluxo menstrual. O dispositivo deve ser inserido pelo seu médico após ele ter sido indicado para você.

Efeitos Colaterais

De modo geral, o uso do DIU pode causar dores na pélvis e aumentar o risco de infecções vaginais, apesar destes sintomas serem raros. No caso de cada tipo existem efeitos colaterais específicos.

DIU de cobre, por alterar o endométrio e muco, costuma:

  • Aumentar o volume da menstruação
  • Causar mais cólicas menstruais.

Já o DIU de Mirena, por liberar hormônios, pode acabar:

  • Suspendendo a menstruação definitivamente (em cerca de 80% dos casos)
  • Causar escapes (pequenos sangramentos)
  • Trazer um leve aumento de peso.


 

 

 

Compartilhe!

SIGA NAS REDES SOCIAIS
INSTAGRAM